Just be

 
Muito tempo sem tempo. Para tudo, mas sobretudo para aproveitar o tempo que passa demasiado depressa.
Este fim-de-semana foi bom. Muito bom. Cheio de actividades e momentos em que dava por mim a parar… para olhar, desfrutar, sentir esta criatura que cresce a olhos vivos, que adquire competências, aprende e absorve tudo o que o rodeia. Pode ser um cliché, mas é de facto a melhor experiência que se pode ter. A de ver um ser humano a desenvolver-se perante os teus olhos, partilhar essa existência e sentir um profundo e genuíno amor…
A par disso, assistir como perante o deserto, as pessoas se juntam e concretizam, abrindo as portas à comunidade, convidando todos a entrar e a estar, sobretudo uns com os outros.